• (35) 3715-5431
  • Poços de Caldas / MG

Conheça as bandeiras tarifárias

Conheça as bandeiras tarifárias

Nos últimos anos, o Brasil vivenciou um cenário de incerteza e insegurança quanto ao abastecimento de água e energia. Devido às escassas chuvas e às mudanças climáticas, que resultou no baixo nível de armazenamento dos reservatórios de água, afetando diretamente o fornecimento de energia do país. Em outros países os investimentos de energia são utilizados em diferentes tipos de usinas, afim de evitar crises quando uma dessas usinas estiver com problemas.

Já no Brasil, a sua matriz elétrica é gerada principalmente pelas hidrelétricas, por possuir uma vasta disponibilidade de rios para a geração de eletricidade, porém, dependem das chuvas e do nível de água nos reservatórios para funcionar. Quando há pouco armazenamento de água, as usinas termelétricas são acionadas para que poupe a água armazenada dos reservatórios, o que encarece o custo de geração de energia, pois são movidas a combustíveis como gás natural, carvão, óleo combustível e diesel.

Por meio da Resolução Normativa nº 547, de 16 de abril de 2013, da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL, estabeleceu os procedimentos comerciais para a aplicação do sistema de bandeiras tarifárias, que entrou em vigor para os consumidores das concessionárias no mês de janeiro de 2015.

O sistema de bandeiras funciona como “semáforos”, de caráter didático, as bandeiras têm como objetivo indicar ao consumidor os custos e condições de geração de energia elétrica, estes por sua vez, já estavam inclusos na conta de energia, mas não eram devidamente informados, assim, o consumidor pode adaptar e racionalizar seu consumo de maneira consciente.

As bandeiras tarifárias são definidas mensalmente pela ANEEL com base nas informações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (NOS) e a partir destas, aciona a bandeira tarifária do mês seguinte. No final de cada mês, a ANEEL disponibiliza em seu site a bandeira do próximo mês, também informado pelas distribuidoras.  

Quando a bandeira é verde, as hidrelétricas operam normalmente, e não há alteração no valor da tarifa de energia, os reservatórios estão cheios e condições favoráveis para a geração de energia. A cor amarela, indica sinal de atenção pois há condições menos favoráveis de geração com as usinas térmicas são ativadas, havendo um acréscimo de R$2,00 a cada 100kWh.

Já as bandeiras vermelhas indicam que está muito caro gerar energia no país, as usinas térmicas estão ativadas e possuem uma alta demanda de geração, divididas em dois níveis, o Patamar 1 há um acréscimo de R$ 3,00 a cada 100 kWh, já o Patamar 2, o acréscimo chega a R$ 3,50 a cada 100kWh. A definição de dois níveis permite uma maior flexibilidade e adaptação do consumidor em relação as variações dos custos de geração do país.

Utilizar a energia elétrica de forma consciente e racional é muito importante para o consumidor, para a sociedade e para o meio ambiente. Procurar utilizar os aparelhos com maior eficiência energética contribui para que seja usada menos energia para atender a mesma demanda. Com isso, além de economizar na conta de luz, o uso eficiente de energia elétrica ajuda a minimizar os impactos e evitar sua escassez.

Uma maneira de evitar as bandeiras tarifárias é gerando sua própria energia, no telhado de sua casa, por meio da energia solar, uma energia limpa e renovável, que não agride o meio ambiente e de fácil instalação.

Além disso, quando a quantidade de energia produzida for maior que a consumida, o excesso de eletricidade vai para a rede elétrica, gerando créditos com a distribuidora, que podem ser utilizados em dias que a produção de energia elétrica a partir do sol for pouca ou nenhuma com prazo de validade dos créditos de até 60 meses.

A energia solar tem como principais vantagens a facilidade de manutenção, seu longo tempo de vida (25 anos), a possibilidade de armazenar a eletricidade.