• (35) 3715-5431
  • Poços de Caldas / MG

Baixo nível das hidrelétricas deve acionar bandeira vermelha

Baixo nível das hidrelétricas deve acionar bandeira vermelha

Os reservatórios das hidrelétricas caíram esse mês para perto do pior nível da história, que foi quando o Brasil correu o risco de um apagão, em 2001, e, devido a esta situação de escassez de chuvas no país, as autoridades do setor elétrico já começam a dar como certo o acionamento da bandeira vermelha em outubro.

Em boa parte do país houve um menor volume de chuvas, de janeiro a abril choveu 70% do que era esperado, e com a seca, os reservatórios das usinas hidrelétricas vem diminuindo mês a mês. Com os baixos níveis das hidrelétricas, a solução é o acionamento das usinas termoelétricas, que produzem energia a partir de uma fonte fóssil, e por isso, possuem um custo mais caro.

 

Conforme pode ser visto no gráfico acima, no Nordeste, o volume médio das hidrelétricas da região está abaixo de 10% de sua capacidade total. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o nível dos reservatórios neste mês é de 9,78%, sendo menor que no mesmo período do ano passado, que foi de 13,2% e inclusive, é até mesmo menor que em setembro de 2001, durante o período de racionamento de energia, que foi de 12,5%.

 

Em relação as hidrelétricas do sudeste e centro-oeste há uma maior preocupação, pois elas são responsáveis pela geração de 70% da eletricidade consumida no país. Hoje, segundo a ONS, as usinas operam com 25,08% de água armazenada, abaixo do mesmo período do ano passado, que era de 40%, e bem próximo de setembro de 2001, que contava com 20,6% de capacidade. Você pode conferir o nível dos reservatórios clicando aqui.

Com isso, o diretor geral da Agencia Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Romeu Rufino, disse que a seca deve levar ao acionamento da bandeira vermelha no mês de outubro e também não descarta a possibilidade de que seja acionado o segundo patamar, que adiciona R$ 3,50 a cada 100 kWh. No mês de setembro vigorou a bandeira amarela.

"O regime hidrológico é desfavorável, o custo da energia é crescente e o custo de acionamento das térmicas mais caras, dentro ou fora da ordem de mérito, vai elevar o custo da geração de energia", afirmou Rufino. "É possível que no mês que vem possamos acionar a bandeira vermelha no patamar 2? É possível."

 

O sistema de bandeiras tarifárias funciona como um semáforo, e indicam a taxa extra paga na conta de energia elétrica. Na bandeira verde, não há custo extra. Já a bandeira amarela, cobra uma taxa de R$ 2,00 a cada 100 kWh, e a bandeira vermelha patamar 1 e patamar 2, cobram respectivamente R$ 3,00 a cada 100 kWh e R$ 3,50 a cada 100 kWh.

Fuja do aumento e gere sua própria energia! Entre em contato conosco e reduza sua conta de energia em até 95%. Receba a visita de um de nossos engenheiros especializados ou solicite gratuitamente um orçamento para atender a sua instalação com energia solar fotovoltaica.  Estamos disponíveis também no Whatsapp (35) 99222-5431 e no fixo (35) 3715-5431.

 

 


Projetos relacionados que talvez você se interesse